Ainda a educação

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe
Chama atenção o descaso de sucessivos governos com a dramática situação da educação.
Pode um país crescer sem qualidade na educação?
As greves são um direito constitucional, entretanto, a sua vulgarização demonstra a fraqueza do Estado e a ineficiência desse meio de pressão para solucionar problemas graves.
O Rio Grande do Sul parece conviver de forma pacífica com um problema dessa natureza.
Já falei inúmeras vezes que a verdadeira infraestrutura do Brasil é a educação.
Como pensar em sustentabilidade sem preparação e formação adequadas?
E, em formas de participação mais eficientes?
As eleições, aqui no Estado, onde os governos se submetem ao julgamento da população tornaram-se vulgares em relação à educação.
Que meios seriam mais eficientes para "cutucar" os executivos para ações mais pontuais e que garantam um futuro promissor para o Rio Grande do Sul?
Um Estado que não valoriza a educação não pode sonhar com um futuro melhor para o seu povo.
Quanto aos profissionais, professores,se não estão felizes e realizados na sua vocação/profissão, o que implica uma boa remuneração e das condições de trabalho (inclusive plano de metas e exigências de formação qualificada) será impossível exigir bom desempenho na sua ação educativa.

Sugira um tema para este comentário.
Faça dessa coluna expressão das tuas preocupações. .
Um abraço.

Leia Também A (falta de) leitura e as redes sociais 25º Domingo do Tempo Comum. Escute o que seu coração deseja Mortes no Trânsito: De quem é a responsabilidade?