Verão atrai animais peçonhentos como lacraias às residências dos passo-fundenses

Compartilhe
Foto: Reprodução / Internet   Foto: Reprodução / Internet 

Verão também é sinônimo de insetos e animais peçonhentos, mas afinal, qual é o perigo que eles representam? A lacraia, por exemplo, que é um quilópode, tipo de animal que possui grande quantidade de pernas articuladas, surge quando o termômetro sobe. Você pode conhecer também como centopeia, é o mesmo animal. Apesar de parecer inofensivo, a lacraia é venenosa.  

Entretanto, são tantos os mitos que rodeiam os riscos de ser picado por uma lacraia, imagens circulam no Facebook na tentativa de alertar sobre perigos quanto à picada do inseto. Passo-fundenses relataram à Rádio Planalto News o surgimento desses animais peçonhentos nas residências, após a chegada do verão.

A picada mata?

Existe a possibilidade da picada acarretar na morte de uma pessoa. No entanto, o professor do Departamento de Biologia e Farmácia da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Andreas Köhler, explica que a possibilidade é quase nula. “Como todos os animais que transmitem veneno, teoricamente a picada da lacraia pode matar, mas a probabilidade é muito pequena”, comentou.

Casos mais extremos podem acontecer principalmente quando a vítima tiver a saúde mais frágil - como crianças e idosos - ou quando há um quadro alérgico. Köhler explica que a reação alérgica acontece entre duas e três horas após a picada e pode causar produção de muco, que, caso chegue ao pulmão, gera risco de morte. Ainda é possível que ocorram quadros de parada cardíaca. “O veneno em si não mata, o que pode matar é a reação”, frisa o professor.

Como identificar a lacraia

As lacraias têm o corpo alongado, dividido em segmentos (geralmente entre 12 a 15 partes). A cabeça tem um par de antenas e duas garras de veneno. Cada segmento do corpo possui duas pernas. Dentre os mais de 30 tipos de lacraia, a espécie mais encontrada geralmente tem tons marrom ou esverdeado e o tamanho varia entre um e 15 centímetros, conforme o biólogo.

Como prevenir

As centopeias são animais noturnos, que se escondem durante o dia em espaços escuros. Por isso, é muito provável que sejam encontrados debaixo de pedras, folhas ou cascas de árvore. Nas casas, podem aparecer em hortas, canteiros ou jardins. O principal cuidado para se evitar uma picada é manter a atenção ao mexer em pedras ou folhas. Conforme Köhler, a utilização de luvas no jardim ou horta é suficiente para que o animal não consiga picar a pessoa.

O que fazer

Caso a prevenção não seja suficiente, a orientação do biólogo é de que a vítima procure atendimento médico. “Um dos problemas é que as pessoas esperam que apareçam sinais da picada, como o inchaço, mas é importante procurar um posto de saúde o quanto antes”, disse Köhler.

(Com informações do Portal GAZ e ouvintes Planalto News)

Leia Também Madri confirma 3 mortos e 11 feridos após explosão de gás Aeronáutica faz 80 anos e Bolsonaro destaca papel da Força Categoria esclarece na Planalto News: tendência é de não ocorrer greve dos caminhoneiros em fevereiro Cidades do Pará entram em colapso por falta de oxigênio