Apresentador Ratinho defende intervenção militar no Brasil: 'Igual a de Singapura'

Compartilhe
Reprodução / Internet   Reprodução / Internet 

O apresentador Ratinho é acusado por internautas de fazer apologia à ditadura militar. A discussão tomou o Twitter nessa quarta-feira (17) após o comunicador fazer declarações a favor de uma intervenção das Forças Armadas no país "igual a de Singapura" para que, na sua visão, melhore a situação no Brasil.

As declarações foram feitas durante o programa "Turma do Ratinho", na rádio Massa FM, que é de propriedade do comunicador. As críticas ao modo de governo atual do Brasil surgiram durante um comentário sobre os casos de vacinas vazias, que estão sendo flagrados em alguns lugares do país. 

"Eu sei que o que vou falar aqui pode até chocar, mas está na hora de fazer igual fez em Singapura. Entrou um general, consertou o país e, um ano depois, fez eleições. Mas primeiro consertou, chamou todos denunciados e disse: 'vocês têm 24 horas para deixar o país ou serão fuzilados'. Limpou Singapura", disse.

Reação

Pelo Twitter, a discussão sobre a fala de Ratinho tomou uma grande proporção. Alguns internautas aprovaram o posicionamento, mas a grande maioria criticou a postura do apresentador do SBT.

Singapura

Em 1 de fevereiro deste ano, o exército rendeu e prendeu a Conselheira de Estado Aung San Suu Kyi, o presidente Win Myint e outros líderes do partido governante em Mianmar.

Dessa forma as Forças Armadas, tomaram o poder e governaram o território até o momento. 

Brasil

No Brasil, a apologia à ditadura militar é proibida pela Constituição Federal. 
 


Fonte: Rádio Itatiaia

Leia Também Prova de vida, pensão por morte e encaminhamento de benefícios: especialista Caroline Pereira orienta na Planalto News ECB Group assina contrato com empresa holandesa para compra de matéria-prima sustentável de Pongâmia Rádio Planalto se torna a primeira emissora do estado a contar com energia elétrica de forma renovável através da geração hidrelétrica CNJ decide aposentar desembargadora por ter beneficiado filho preso em MS