Solidariedade

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Dois irmãos, um solteirão e o outro casado, possuíam uma fazenda, cujo solo fértil produzia abundância de arroz e feijão. Metade da produção ia para um e a metade para o outro.

No princípio tudo corria bem, até que um dia, o irmão casado acordou de madrugada e começou a pensar: “Eu sou feliz. Tenho uma mulher que amo e quatro filhos. Meu irmão é sozinho e pode não encontrar alguém que cuide dele no futuro. Não é justo que eu fique com a metade da produção”.

Levantou-se e, ainda no escuro, colocou mais algumas sacas na parte que cabia ao irmão.

O solteirão também começou a ter esses ataques noturnos. Acordava de madrugada e pensava: “Essa história de repartir a produção pela metade não é justa. Eu sou solteiro e não tenho uma família para sustentar. Meu irmão tem mulher e filhos”.

Também ele se levantava de noite e, escondido, jogava várias sacas de arroz e feijão na parte que cabia ao irmão casado.

Um dia saíram da cama ao mesmo tempo e colidiram, cada um com um saco de feijão nas costas. Ao perceber a solidariedade de um para com o outro, abraçaram-se chorando.

Leia Também Você já ouviu falar da Síndrome de Burnout? Pe. Ivo e Pe. Fernando, gratidão! A convicção e o testemunho da Ressurreição Deus sobre uma árvore