"Clube do Carimbo": investigada associação criminosa que transmitia vírus HIV intencionalmente em todo o Brasil

Compartilhe
(Foto: Kássio Pereira/SESA)   (Foto: Kássio Pereira/SESA) 

Um grupo que tinha como objetivo transmitir intencionalmente o vírus HIV para outras pessoas se tornou alvo de uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo. O grupo teria atuação em todo o Brasil.

Segundo os promotores, a ação aconteceu a partir da investigação da associação criminosa “Clube do Carimbo”, que era organizada por meio das redes sociais.

A ação, chamada de “Operação Antivírus”, teve o apoio do Ministério Público do Rio de Janeiro e cumpriu 12 mandados de busca e apreensão na Grande São Paulo e no interior, além de cidades fluminenses.

O grupo, de acordo com o órgão, atuava em todo o Brasil. Os suspeitos detidos serão interrogados e os equipamentos apreendidos vão ser submetidos à análise.

Como a transmissão intencional do vírus HIV configura o crime de lesão corporal gravíssima, a pena para esse tipo de crime pode chegar a oito anos de prisão.

Além disso, o ato pode ser enquadrado como crime de contágio de moléstia grave. A pena, nesse caso, chega a quatro anos de prisão e pagamento de multa.

Leia Também PRF resgata veado mateiro em Sarandi Padrasto agride garoto e câmera de aula virtual flagra violência em Erechim Mãe de Henry era agredida e foi enforcada por Jairinho, diz defesa Contrabando: em 2 anos Brasil apreende 114 milhões de maços de cigarro