Os desmandos de um país desgovernado

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Um grupo de indígenas invade uma propriedade rural, faz a família dos agricultores reféns, usa e abusa das prerrogativas e, mesmo denunciados, nada acontece. Outros invadem cidades, acampam em locais públicos, utilizam-se na Constituição Federal que lhes assegura certas regalias, e também nada acontece.

Não bastasse o desmando total, um cacique de um grupo de indígenas de Faxinalzinho ameaçou, clara e abertamente, que se o Governo Federal não demarcar as áreas prometidas, mais mortes, mais derramamento de sangue vão ocorrer.

Pelo amor de Deus! Até quando isso vai ficar assim? Tente você, leitor, ir a um órgão de imprensa e ameaçar a ordem. Verás quantos processos, quantas ações e explicações terá que dar. No entanto um protegido diz disso e nada lhe acontece. Incitação à desordem. É um desmando. É rasgar a Constituição.

Índios cercam cidades, invadem propriedades, bloqueiam estradas e o órgão que deveria coibir isso, punindo responsáveis quando há arbitrariedades, nada faz, não viu, não sabia.

Aí decidem que, perante a malfadada, mas ainda assim vigente Constituição de 1988, nada se pode fazer, aliás, entendem como normal os indígenas agirem desta forma, porque os brancos tomaram suas terras. E os desmandos não param por aí: Cobram pedágios em estradas federais, utilizam-se dos mineradores e vendem pedras preciosas, andam com camionetes das boas e ninguém é responsabilizado.

No caso mais recente, onde dois agricultores foram assassinados brutalmente, a Polícia Federal disse que vai conduzir o caso como se fossem cidadãos comuns. Mas não são? Se para utilizarem-se das prerrogativas da lei eles podem, por que não podem sofrer os rigores da lei?

A propósito, os desmandos estão aí mesmo: Indígenas, MST, Sem isso, Sem aquilo... e você, que tem impostos a pagar, tente não fazê-lo para ver o que acontece.

Desmandos, desgoverno de um país sem rumo.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito