TSE pediu à PF apuração sobre invasão 10 dias após segundo turno em 2018; Justiça Eleitoral se manifesta

Compartilhe

 

O então secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante as eleições de 2018, Giuseppe Dutra Janino, encaminhou à Polícia Federal no dia 7 de novembro de 2018 um pedido para a PF investigar uma invasão aos sistemas digitais da corte.

A carta foi elaborada a pedido da então presidente do TSE, Rosa Weber, a partir do recebimento de uma denúncia feita por um hacker ao portal de notícias "Techmundo". Weber pediu que a Secretaria de Tecnologia analisasse o caso.

 No documento, o secretário de tecnologia avalia ser necessário a abertura de uma investigação pela Polícia Federal, uma vez que "existe a possibilidade de manipulação de arquivos de configuração que alimentam o software da urna".

JUSTIÇA ELEITORAL SE MANIFESTA

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) garante que o ataque ao seu sistema interno pela Polícia Federal não representou qualquer risco à integridade das eleições de 2018. “Nada de anormal ocorreu", garantiu a Justiça Eleitoral em nota divulgada na madrugada desta quinta-feira (5).

A invasão do sistema do TSE aconteceu em abril de 2018 e resultou no roubo de diversos tipos de informações a partir da invasão de muitos computadores do tribunal, conforme o inquérito da PF, que ainda não foi concluído.



Fonte: CNN / Agência Brasil

Leia Também Assembleia volta a barrar pagamento de honorários para procuradores do Estado Confira o discurso do presidente Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU Bolsonaro faz discurso de abertura da Assembleia da ONU nesta terça Doria? Leite? Prévias para definir candidato do PSDB à presidência da República começam hoje