Talibã proíbe mulheres de praticarem esportes no Afeganistão

Compartilhe
PHILIP FONG / AFP   PHILIP FONG / AFP 
As mulheres no Afeganistão estão proibidas de praticar qualquer esporte que exponha seus corpos para a mídia, de acordo com Ahmadullah Wasiq, um dos líderes culturais do Talibã. A declaração foi dada em uma entrevista à emissora australiana SBS nesta quarta-feira (8).

O talibã classificou como "desnecessária" a prática de esportes pela afegãs. “Não acho que elas terão permissão para jogar críquete porque é desnecessário que joguem. No críquete, elas podem enfrentar uma situação em que o rosto e o corpo não estejam cobertos. O Islã não permite que as mulheres sejam vistas assim."

“É a era da mídia, e haverá fotos e vídeos, e então as pessoas assistirão. O Islã e o Emirado Islâmico não permitem que as mulheres joguem críquete ou pratiquem esportes em que estejam expostas”, completou um dos líderes do grupo extremista.

Representantes do Conselho de Críquete do Afeganistão informaram que não receberam orientações do Talibã sobre o time feminino. Entretanto, o programa destinado para garotas que praticam o esporte foi suspenso. 

Atletas do time de críquete do Afeganistão disseram à rede britânica BBC que sofreram ameaças por parte do grupo extremistas caso voltassem a praticar a modalidade.

Wasiq disse em tom de ameaça que haveria reação caso os princípios do islamismo não fossem respeitados em terrítório afegão. "Se enfrentarmos desafios e problemas, lutaremos por nossa religião para que o Islã seja seguido. Não cruzaremos os valores islâmicos mesmo que tenhamos reações contrárias. Não deixaremos nossas regras islâmicas."

*R7

Leia Também Pelo Gauchão, Passo Fundo Futsal define vaga neste sábado EC Passo Fundo goleia e segue 100% na Taça Dirceu de Castro Copa em homenagem à Federação Gaúcha de Futsal inicia neste fim de semana Passo-fundense Guilherme Kurtz é destaque nos Jogos Universitários Brasileiros