Os nós da corda

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe
Um homem vivia sempre sereno, atraindo a atenção de todos que paravam para conversar com ele. A curiosidade era saber o motivo de sua constante alegria e bondade.

Um dia, um religioso o procurou e conversou longamente com ele:

- Você anda sempre alegre. Será que nunca se preocupa com o seu destino? Será que nunca pensa nos pecados dos quais Deus vai pedir-lhe conta? Afinal, nesta vida somos todos pecadores!

O homem respondeu:

- O senhor tem toda a razão em dizer que a gente deve dar conta do mal que se faz. Eu, por mim, penso e ajo assim: imagino que estou amarrado a Deus por uma corda.

- Como assim? – perguntou, por sua vez, o religioso.

- Quando a gente peca, rebenta essa corda. Mas quando a gente se arrepende e pede perdão, o que faz Deus? Pega as duas pontas da corda e faz um nó para reatá-la. Desse jeito a corda fica mais curta e a gente fica mais perto de Deus. Os anos passam. E o homem, apesar do esforço, continua falhando. Mas Deus vai fazendo mais nós na corda, e acabamos chegando cada vez mais perto dele!

O religioso ficou muito admirado com a sabedoria do homem e entendeu a situação daqueles que, embora pecadores, conhecem e amam a Deus.

 

Leia Também A cruz de cada um Rabiscos Semanais - A experiência comunitária do cuidar! Viva o Nosso Rio Grande do Sul Entre o discurso de ódio e a liberdade de expressão: a polarização que não representa a democracia