A 40ª Romaria de Nossa Senhora Aparecida

Postado por: Dom Rodolfo Luís Weber

Compartilhe

Pelo segundo ano consecutivo a Romaria de Nossa Senhora Aparecida, na Arquidiocese de Passo Fundo, não poderá acontecer da forma tradicional devido a pandemia. É um motivo justo para a preservação do maior bem que é a vida, dom de Deus e fonte de todos os bens. A pergunta repetida várias vezes “vai ter Romaria?”, revela que os devotos estão desejosos de ir para a rua fazer procissão, experimentar o júbilo de celebrar a Eucaristia com a multidão, de sentir o calor fraterno e a fé de quem está ao lado e partilhar alimentos festivamente. Estamos vivendo um jejum na vivência da devoção mariana tradicional.
Seguindo as orientações das autoridades sanitárias e civis foi possível definir uma programação compatível com o contexto pandêmico. As celebrações eucarísticas e outros momentos de bênçãos, geradores de aglomerações, não poderão ser realizados. Haverá celebrações reservadas que serão transmitidos pelas redes sociais e por rádios parceiras. 
Destacamos a programação do dia 10 de outubro, dia da Romaria, das 8h30min até às 12 horas. Através de um roteiro orante com reflexões, orações, cantos os romeiros são conduzidos a rezar com a Arquidiocese de Passo. As orações que expressam a vida pessoal de cada fiel se unem às comunitárias. Por isso, a romaria não é um evento isolado ou paralelo em relação aos grandes temas e preocupações da ação evangelizadora da Igreja. Na verdade, se constitui um evento muito favorável para ajudar os fiéis e colocá-los em comunhão com a Igreja.
A romaria será o momento alto das celebrações dos 70 anos da criação da Diocese de Passo Fundo e os 10 anos que foi elevada à Arquidiocese. O lema que guia as celebrações dos 70 anos é o mesmo da romaria: “Povo Deus, Igreja viva edificamos!” Louvar a Deus pelas maravilhas realizadas. Agradecer os todos - fiéis leigos, diáconos, padres e bispos - que evangelizaram e evangelizam o Povo Deus presente neste território. Também é tempo de exame de consciência para reconhecer os pecados e pedir perdão.
O tema das vocações está sempre presente na romaria, pois ela nasceu no Seminário. Lugar onde a arquidiocese de Passo Fundo acolhe jovens vocacionados que desejam ser padres. Lugar onde eles fazem o discernimento vocacional e são preparados para assumirem livremente o ministério presbiteral. Jesus pediu explicitamente que se rezasse nesta intenção, pois a “messe é grande e os operários são poucos”.
O terceiro convite de oração é pela Arquidiocese de Passo Fundo que está revisando o seu Diretório, acolhendo as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da CNBB, elaborando o Plano de Ação Evangelizadora. Também está participando da Assembleia Eclesial Latino Americano e Caribenha e o Sínodo.
Não é possível fazer a grande procissão, mas é possível visitar o Santuário que está diariamente aberto. Sem dúvida, os dias próximos a 12 de outubro, convidam mais a irmos até este espaço sagrado. Escolha seu dia, faça a sua visitação, expresse a devoção e depois disso retorne à sua casa para que outros possam entrar e manifestar a sua fé e devoção. Os estacionamentos internos estarão abertos, com acesso pelos portões secundários.  
Por que fazemos romarias? Nelas os devotos têm diante dos olhos, Maria a Mãe de Deus, a Mãe da Igreja e nossa Mãe, aqui invocada sob o título de Nossa Senhora Aparecida que os conduz ao encontro de Cristo, caminho, verdade e vida. Por Maria, o romeiro sente-se acompanhado no peregrinar da vida.

Leia Também RABISCOS SEMANAIS: Caminhar Juntos(as)! Expectativa e Frustração Vamos falar sobre Outubro Rosa? “Coragem, levanta-te, Jesus te chama!”