"O bom médico é aquele que ouve as pessoas": diretor técnico do HSVP enaltece missão de profissionais no Dia do Médico

Compartilhe
Dr. Adroaldo Mallmann   Dr. Adroaldo Mallmann 

Entre uma cirurgia, emergência ou consulta, muitas coisas acontecem. Para quem se dedica a salvar vidas, nenhum dia é igual ao outro. No meio de uma rotina, muitas vezes cansativa, o amor pela profissão fala mais alto: o cuidado e a preocupação com cada paciente são sempre prioridades para os médicos no Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo.

Com mais de 800 médicos em seu corpo clínico, o HSVP é o maior complexo hospitalar do interior do Rio Grande do Sul e também referência para muitas cidades da Região Sul do país. Adroaldo Mallmann, diretor técnico médico, entende que a força conquistada pela Instituição, ao longo dos anos, está diretamente ligada ao seu Corpo Clínico. "Aqui os médicos encontram a estrutura e o suporte que precisam para se tornarem destaque na área da saúde. Nossos profissionais trazem o que há de melhor em suas especialidades contribuindo para a expansão do nosso centro de excelência”.

Desde 1976, a Instituição conta com a Residência Médica, reconhecida pelo Ministério da Educação como um Hospital de Ensino, que recebe estudantes e residentes da Universidade de Passo Fundo e da Universidade Federal da Fronteira Sul. Os médicos que atuam como preceptores estão comprometidos em oferecer um ensino de excelência, tendo o Hospital como cenário de prática. 

O diretor destaca que é nesse contexto de formação que surge a necessidade de mostrar a profissão em sua essência: "a medicina é feita com observação, ouvindo o paciente e examinando. Isto é a arte. A continuidade da formação de cada médico se dá na aprendizagem com anamnese, conhecendo a história pregressa, o contexto da pessoa e da família, e depois o exame. A vida é sempre a maior prioridade, o que temos de mais divino aqui. Para preservá-la, precisamos de médicos que orientem a população da maneira correta".

Com a formação de novos médicos e a alta demanda por atendimentos, o Dr. Mallmann pede que os profissionais sigam se aperfeiçoando, mas, principalmente, se preocupem em oferecer uma abordagem mais humanizada. "O bom médico é aquele que ouve as pessoas, que olha no olho, que examina e toca o paciente, não simplesmente avalia um exame. O médico de excelência é aquele que, além do conhecimento técnico fundamental, dá atenção aos problemas sociais, humanos e econômicos de cada um. Nós médicos temos sempre que pensar que atrás da pessoa existe um ser humano que procura ajuda e nós temos o dever de ajudar em todo o seu contexto psíquico, moral e ético e social".


PORTA PRINCIPAL DE ENTRADA DO HOSPITAL

A emergência é hoje uma das principais portas de entrada de pacientes no Hospital. Nela, chegam a todo instante, casos com diferentes complexidades. No mês de setembro, por exemplo, mais de 3.740 pacientes foram atendidos na Unidade de Emergência do Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo. O setor já chegou a receber 160 pacientes em um dia. 

Para os médicos que atendem casos de urgência e emergência, o grande desafio é se adequar a diferentes situações, em um curto período de tempo. "São pacientes com acometimentos, doenças e lesões que, em geral, não têm diagnóstico prévio e que precisam de atendimento médico imediato. Circunstâncias em que se iniciam investigações ou intervenções para tratamento na fase aguda. Nestes momentos, ocorrem situações de ressuscitação e estabilização hemodinâmica até o encaminhamento do paciente para o cuidado subsequente com o especialista de outras áreas", conta a Dra. Josiane Diehl Moia, responsável técnica pela Unidade Emergência e pelo Núcleo Interno de Regulação do HSVP (NIR). 

Diante dessa realidade, a atualização constante das práticas se torna um diferencial para os médicos, estudantes e recém-formados, que passam pela Unidade de Emergência. "Nos preparamos para vencer, mas algumas vezes perdemos. É doloroso. Curar é o objetivo, mas nem sempre isso é possível. O meu conselho para os médicos recém-formados é: certifique-se todos os dias que você está dando o seu melhor. E, simplesmente, apaixone-se pela Medicina e principalmente pela vida". 


O HSVP COMO ESCOLA 

A excelência do Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo está no seu dia a dia, inclusive na preocupação em formar grandes profissionais da área da saúde. Nesse sentido, anualmente, a Instituição oferece centenas de vagas para residência médica. Os aprovados nos processos seletivos, encontram no HSVP uma estrutura completa para formação em suas especialidades. 

Daniel Delatorre Kamijo, residente da Cirurgia Geral, conta um dos motivos para ter escolhido o Programa de Residência Médica no HSVP. "O Hospital tem um amplo espaço para desenvolvermos as atividades. Como somos referência da região, conseguimos atender casos mais complexos e que necessitam maior urgência para resolução da doença".

A prática da medicina em meio a uma pandemia está sendo um grande desafio para os novos profissionais. Infelizmente, no início, as restrições de contato com o paciente dificultaram a relação médico-paciente. Agora, com grande parte da população vacinada e um maior conhecimento sobre a pandemia, as barreiras interpessoais estão sendo desfeitas. "Foi um período necessário de readaptação e aprendizado para todos. Com a medicina em constante evolução, é importante que todos os profissionais da saúde estejam atualizados para proporcionar o melhor tratamento para o paciente e o HSVP é a Escola para construção do conhecimento", comenta o médico residente Kamijo.



TEXTO: Flávia Dias - Comunicação/HSVP

FOTOS: Divulgação HSVP

Dra. Josiane Diehl Moia 

Dr Daniel Delatorre Kamijo,  

Leia Também Federação dos Hospitais Filantrópicos do RS promove evento para debater os cenários e perspectivas para 2022 Casos de Aids entre jovens aumenta no Brasil Com a farmácia da UBS São Luiz Gonzaga, Prefeitura facilita o acesso a medicamentos Alterado local para eleição do Conselho Municipal de Saúde