Estimativa é que Passo Fundo recicla 6% dos resíduos sólidos produzidos

Compartilhe
O prefeito, Pedro Almeida, esteve na cooperativa Recibela para enaltecer os trabalhadores do setor, que contribuem diretamente com o meio ambiente e a cidade. A unidade recebe todos os resíduos transportados das residências pelos caminhões de coleta

Uma estimativa feita pela Secretaria do Meio Ambiente aponta que Passo Fundo atingiu um importante percentual de reciclagem: 6% dos resíduos sólidos produzidos pela população são reciclados. O índice é superior ao do país, que, de acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), é de 2,1%. O auxílio da Prefeitura às cooperativas e os incentivos aos trabalhadores do setor são os principais fatores relacionados ao crescimento da atividade. 

Nesta terça-feira (30), o prefeito, Pedro Almeida, e a secretária de Meio Ambiente, Gabriela Engers, estiveram na cooperativa Recibela para fazer um agradecimento às pessoas que atuam no local. É para a unidade, situada no interior, que vai tudo o que é recolhido nas residências pelos caminhões de coleta. São mais de 150 toneladas de resíduos sólidos recebidos diariamente e manejados por cerca de 70 cooperados, que fazem a seleção dos recicláveis.

O prefeito destacou que o trabalho dos recicladores colabora diretamente com o meio ambiente e a cidade. “A cidade tem que conhecer mais o trabalho de vocês para valorizar, porque, quando a gente conhece o trabalho, chega perto e conhece que ele é difícil, é duro, a gente valoriza mais. A cidade é feita de muitos setores e pessoas. Cada um faz a diferença aqui, e, quando a gente se une, é Passo Fundo que vai mais longe”, disse.

Uma das medidas adotadas pelo Município para ampliar o percentual de reciclagem é o contrato com cooperativas. Desde 2017, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, possui contrato com a Recibela, a Coama, a Arevi e a Cootraempo, que contabilizam, hoje, 95 trabalhadores. 

A secretária de Meio Ambiente, Gabriela Engers, explica que o contrato com as cooperativas atende a um dispositivo da Política Nacional de Resíduos Sólidos e garante melhorias em estrutura e equipamentos para as unidades retorno aos cooperados. “Os contratos possibilitam fonte de renda digna e condições salubres de trabalho. Além dos cooperados, outras centenas pessoas são beneficiadas indiretamente, uma vez que devemos considerar não só os trabalhadores inseridos nas cooperativas, mas também as famílias dos mesmos”, considera.

A presidente da Recibela, Catarina da Rosa, apresentou a cooperativa e detalhou o processo que os resíduos sofrem desde que chegam no local. “Nós temos que agradecer pela visita e pelo reconhecimento. Todos aqui trabalham muito, com esforço”, considerou.

A reciclagem é o processo de reaproveitamento do resíduo com mudanças em seus estados físico, físico-químico ou biológico, de modo a atribuir características para que se torne novamente matéria-prima ou produto. Com o trabalho das cooperativas, somente em 2021, já foram reaproveitadas cerca de mil toneladas de resíduos recicláveis que, dessa forma,  não foram encaminhadas para o aterro sanitário, em Victor Graeff. Esse número é muito maior se somado à quantidade de materiais apanhados pelos demais recicladores que não pertencem às entidades.

Leia Também Chuvas afetam oito estados pelo Brasil e matam ao menos 15 pessoas Enriquecimento florestal: áreas de preservação da FUPF começam a ganhar 400 novas mudas de araucárias Trabalhos de conscientização sobre a causa animal retornam às escolas Cobra encontrada em via pública no Bairro Cidade Nova