Olhe além das luzes e lembre-se dos pobres, diz Papa

Compartilhe
© REUTERS/Guglielmo Mangiapane/Direitos Reservados   © REUTERS/Guglielmo Mangiapane/Direitos Reservados 
Em discurso aos católicos romanos do mundo todo na véspera do Natal, nesta sexta-feira (24), o Papa Francisco disse que as pessoas indiferentes aos pobres ofendem a Deus e pediu a todos que "olhem além das luzes e das decorações" e se lembrem dos mais necessitados.

Vivendo o nono Natal de seu pontificado, o Papa celebrou uma missa solene de vigília na Basílica de São Pedro para cerca de 2 mil pessoas, com participação restrita pela covid-19 a cerca de um quinto do tamanho visto nos anos pré-pandêmicos.

Minutos antes do início da missa de véspera de Natal, a Itália contabilizou seu segundo recorde consecutivo no número diário de casos de covid-19, com 50.599 novas infecções.

Francisco, vestido de branco, fez sua homilia em torno do argumento de que Jesus nasceu sem nada.

"Irmãos e irmãs, diante do presépio, contemplamos o que é central, além de todas as luzes e enfeites, que são lindos. Contemplamos a criança", disse ele na missa celebrada em conjunto com mais de 200 cardeais, bispos e padres. Todos, exceto ele, usavam máscaras.

Francisco, que fez 85 anos na semana passada, disse que o menino Jesus nascido na pobreza deve lembrar às pessoas que servir aos outros é mais importante do que buscar status ou visibilidade social ou passar a vida inteira em busca do sucesso.

"É neles (os pobres) que ele quer ser homenageado", disse Francisco, que faz da defesa dos pobres o ponto central do seu pontificado.

"Nesta noite de amor, tenhamos um só medo: ofender o amor de Deus, ferindo-o ao desprezar os pobres com a nossa indiferença. Jesus os ama ternamente e um dia eles nos receberão no céu", disse.

Ele citou um verso de um poema de Emily Dickinson: "quem não encontrou o céu --aqui embaixo-- falhará nele lá em cima". O papa acrescentou em suas próprias palavras: "Não percamos de vista o céu; cuidemos de Jesus agora, acariciando-o nos necessitados, porque é neles que ele se fará presente".

Dizendo que os trabalhadores --os pastores-- foram os primeiros a ver o menino Jesus em Belém, Francisco disse que o trabalho tem que ter dignidade e lamentou que muitas pessoas morram em acidentes de trabalho em todo o mundo.

"No Dia da Vida, vamos repetir: chega de mortes no local de trabalho! E vamos nos comprometer a garantir isso", disse.


(Agência Brasil / Reuters)

Leia Também Papa Francisco reza pelas vítimas das inundações no Brasil Itepa promove estudo de diversas Escolas de Espiritualidade do período moderno Domingo de fé na Romaria Vocacional em honra ao Monsenhor João Benvegnú, em São Domingos do Sul Preparativos são finalizados para a Romaria Vocacional em honra ao Monsenhor João Benvegnú