Vamos celebrar a vida

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe


Nas horas de Deus, amém !(Zé Vicente)

Nesse final de semana é proporcionada a celebração de momentos significativos na caminhada de fé da humanidade. A participação nesses momentos assinala a comunhão com a Igreja que acolhe o desígnio de Deus na missão de ajudar cada pessoa celebrar o mistério de Jesus, o verbo encarnado (Jo 1,1) que conduzirá todos à salvação.

No dia 31 de dezembro, na liturgia da oitava de Natal, é oportunidade de agradecer o ano que chega ao seu final. Foi feita a travessia, certamente com algumas dificuldades, mas também com realizações. É a dinâmica da nossa história.  Algumas preocupações permaneceram nesse caminhar: a miséria e a pobreza têm aumentado, a fome ameaça muitas famílias, tem-se presenciado muitos casos de violência impetrada de diferentes formas, têm se expressado posicionamentos fundamentalistas de diferentes matizes, sobretudo através das redes sociais. Nesse segundo ano de vigência da pandemia da Covid 19 muitos entes queridos foram perdidos e algumas pessoas ainda estão marcadas pelas sequelas da enfermidade. Famílias enfrentaram dificuldades em razão do desemprego e outros problemas que chegaram aos lares. Pessoas e famílias precisaram se reinventar na trajetória de luta pela sobrevivência e superação das tantas fragilidades.

Viu-se também muitas virtudes e valores florescendo nos lares e nas comunidades. A sociedade assumiu iniciativas de solidariedade que fizeram a diferença para muitas pessoas. Algo muito simples: o “quilo” doado pode ter sido a única refeição para a pessoa que recebeu. A criatividade para fazer o bem acontecer tornou o caminho mais leve para muitas pessoas.

 Certamente foi um ano exigente para todos. É necessário agradecer ao Senhor a caminhada feita que, cronologicamente, chegou ao final. Bendigamos ao Senhor.

No dia 1º janeiro, início do ano civil, a Igreja propõe celebrar a Solenidade de Santa Maria, mãe de Deus. Reconhece-se Maria como a mãe do “verbo encarnado”, porque ela deu o sim ao desejo de Deus de fazer-se carne na história da humanidade. Ela é a mãe do menino que se fez Deus, aquele que assumiu a nossa condição humana sem perder a sua divindade. O texto proposto para a celebração da solenidade é o evangelho de Lucas 2, 16-21. Narra a alegria dos pastores por encontrarem o Senhor e a atitude de Maria que guardava e meditava os fatos presenciados no seu coração. Aos poucos a jovem de Nazaré começou a descobrir a extensão do sim dado.

 Desde o pontificado de São Paulo VI a humanidade é motivada, no primeiro dia do ano, a rezar pela paz, uma urgência em nossos tempos. Compreendamos a paz não apenas como a inexistência de guerras, mas a possibilidade real de vida digna para todas as pessoas do Planeta. A paz que Jesus nos deu vai ser construída a partir da responsabilidade de cada ser humano.

A data de 02 de janeiro de 2022 reserva para os cristãos a celebração da Solenidade da Epifania do Senhor, a manifestação de Deus a toda a humanidade. Ele é a luz para todos os povos. Na noite de Natal o menino Jesus foi visitado pelos pastores homens pobres e desprezados pela elite citadina e que se fizeram os anunciadores da grande novidade (cf. Lc 2,20). Nesse dia celebra-se a visita dos magos do oriente, homens que representam a acolhida universal da salvação. Eles não eram da tradição cultural de Jesus. Contudo, vão até o menino o reconhecendo como alguém importante na trajetória de seus povos.

Segundo o texto bíblico eles saíram em busca do recém-nascido, guiados pela estrela, até encontrarem o Senhor.    Estes homens, diferentemente de Herodes e sua corte (Mt 2,3), alegraram-se pela manifestação do Senhor e reconheceram Jesus como o seu salvador ao ponto de se ajoelharem-se (submissão) e lhe oferecerem presentes (afeto e aceitação).

A humanidade é convidada a celebrar estes momentos com fé e esperança renovada. É a graça do Pai chegando até cada pessoa humana, esperando sua acolhida, porque Ele, em sua graça, transforma o mundo. Deus está dialogando com a humanidade através do mistério celebrado e dos fatos da vida lidos à luz da fé.

Existe um caminho a ser percorrido no ano de 2022. O criador de todas as coisas convida a entrar no novo ano com coragem, lucidez e esperança. Ele estará com cada um nessa travessia, basta que deixemos se aproximar e conduzir. Da parte de cada homem e mulher siga-se o conselho de Paulo: "pedimos-vos, porém, irmãos, corrigi os desordeiros, encorajai os tímidos, amparai os fracos e tende paciência para com todos. Vede que ninguém pague a outro mal por mal. Antes, procurai sempre praticar o bem entre vós e para com todos. Vivei sempre contentes. Orai sem cessar. Em todas as circunstâncias.  Deem graças por tudo.  Porque essa é a vontade de Deus a vosso respeito em Jesus Cristo.  Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo: abraçai o que é bom. Guardai-vos de toda a espécie de mal” (cf. 1Tess 5,14ss).

Que o ano de 2022 seja um ano bom, vivido na graça de Deus!

Pe. Ari Antonio dos Reis.

Leia Também O Senhor está próximo És tu o Messias esperado? OS TRÊS OPERÁRIOS RABISCOS SEMANAIS: Rosto de Emanuel!