Preparativos são finalizados para a Romaria Vocacional em honra ao Monsenhor João Benvegnú

Compartilhe
Foto: Arquivo Planalto News   Foto: Arquivo Planalto News 
Terá início nesta quarta-feira, 05, o tríduo preparatório à Romaria Vocacional em honra ao Monsenhor João Benvegnú, o Servo de Deus. É a trigésima sexta edição do evento que abre o calendário de romarias do ano na área da Arquidiocese de Passo Fundo.
A programação, acolhendo os devotos, será realizada no próximo final de semana, dias 08 e 09 de janeiro, no município de São Domingos do Sul. O tema escolhido para 2022 é "Vocação: Vamos Caminhar Juntos". 
No sábado, dia 08, as celebrações terão início às 9h30. Será missa das peregrinações. A partir das 20 horas acontecerá a procissão luminosa, tradicional no município.
Para o domingo, dia 09, haverá missa de acolhida às 7h30. Às 10h, acontecerá a Missa da Saúde e pelas Vocações. Às 15h será dada a Bênção do Santíssimo e Bênção dos Monsenhor João Benvegnú. 
Serão seguidos todos os protocolos sanitários.



Mons. João Benvegnú - Servo de Deus

            João foi o oitavo filho dos imigrantes italianos Fedele Benvegnú e Maria Moretti, oriundos de Taibon Agordino – Província de Belluno – Itália. Nasceu em 12 de agosto de 1907, às margens do rio Taquari, no Distrito de Muçum, pertencente naquela época a Guaporé/RS, hoje município de São Valentim do Sul/RS. Foi batizado em 07 de outubro de 1907 pelo Pe. Henrique Preti. Aos 7 anos de idade recebeu o Sacramento do Crisma pelo Arcebispo de Porto Alegre, Dom João Becker e no dia 22 de abril de 1919, na Igreja Matriz de Santa Tereza, realizou a Primeira Eucaristia. 

           Em 1921, aos 14 anos de idade, entrou para o Seminário dos Padres Passionistas, em Pinto Bandeira, município de Bento Gonçalves/RS. Em 1922 foi para o Seminário Menor de São Leopoldo/RS. Em 1927 iniciou o curso de Filosofia e em 1934 concluiu o curso de Teologia. Recebeu o Diaconato no dia 02 de abril de 1934, na Cripta da Catedral de Porto Alegre por Dom João Becker, tendo por lema: “Chi mi há creato mi a dato il potere di crearlo”. No dia 16 de setembro de 1934 recebeu o Sacramento da Ordem. Costumava dizer: “O dia mais belo da minha vida foi o dia da minha ordenação sacerdotal”. No dia 20 de setembro do mesmo ano celebrou sua primeira Missa na Igreja Matriz de Santa Tereza.

            Iniciou seu ministério atendendo no Convento de Nossa Senhora do Carmo e, simultaneamente, trabalhava no centro da Boa Imprensa. Em princípios de novembro de 1934, tomou posse como vigário cooperador na Paróquia de Osório, permanecendo até setembro de 1935. No dia 20 de outubro de 1935 assumiu a Paróquia de São Domingos pertencente a Arquidiocese de Porto Alegre, como pároco, permanecendo até sua morte em 03 de janeiro de 1986.               

           Durante sua vida sacerdotal foi distinguido com a honra de Cônego Honorário do Cabido Metropolitano de Porto Alegre, concedido em 29 de junho de 1956, por Dom Vicente Scherer. No dia 15 de agosto de 1959, a Paróquia de São Domingos passa a pertencer a Diocese de Passo Fundo e Dom Cláudio Coling concede o mesmo título. Em 16 de setembro de 1984, o Santo Padre o Papa lhe conferiu o título de Monsenhor.

         Mons. João Benvegnú sempre foi contemplativo, ativo, atento e comprometido com as necessidades e sofrimentos do seu povo. Trabalhou muito pelo desenvolvimento integral dos fiéis. A experiência pessoal com Deus lhe dava sentido, sustentação, paz de espírito, segurança e o tornava exemplo. Na linguagem simples e sábia do povo um “santo”, um “homem de Deus”. Homem extremamente humano, bondoso, compreensivo, acolhedor, caridoso e atencioso com todos.

?

Leia Também Papa Francisco reza pelas vítimas das inundações no Brasil Itepa promove estudo de diversas Escolas de Espiritualidade do período moderno Domingo de fé na Romaria Vocacional em honra ao Monsenhor João Benvegnú, em São Domingos do Sul Olhe além das luzes e lembre-se dos pobres, diz Papa