Assembleia revoga aumento de verba aos gabinetes dos deputados gaúchos

Compartilhe
A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul revogou o aumento de 117% a cota parlamentar. O valor a que os deputados estaduais teriam direito para reembolso de despesas do mandato e no gabinete havia passado de R$ 14,8 mil para R$ 32,2 mil. A nova cota parlamentar passou a valer em 1º de janeiro de 2022.

Na manhã de hoje, porém, a Mesa Diretora revogou, por unanimidade, a Resolução de Mesa nº 1.751/2021 que reajustou o valor da cota dos gabinetes parlamentares.

O aumento no valor da cota parlamentar tinha como base um estudo do deputado Valdeci Oliveira (PT), primeiro secretário da Mesa, que detectou defasagem no valor da indenização dos deputados pelo uso de combustível. De acordo com os cálculos, a quantia de R$ 1,46 por quilômetro rodado não correspondia à realidade atual e foi aumentada para R$ 1,79.

Tinha sido aumentado também os valores destinados aos líderes de bancada, aos líderes de partido e aos integrantes da Mesa: de R$ 16,6 mil para R$ 36,2 mil. Já a cota dos vice-líderes havia aumentado de R$ 15,4 mil para R$ 33,5 mil.

Os deputados do Novo pediram a revogação no retorno do recesso. "Aumento inapropriado e desproporcional. O parlamento precisa dar exemplo, não ceder a gastança em ano eleitoral", criticou, nas redes sociais, o deputado Fábio Ostermann.

Em breve mais informações na Planalto News FM 92.1.

Leia Também Câmara de Vereadores sedia audiência pública do Estado sobre segurança pública Definido ato público com Lula no Rio Grande do Sul TSE aprova registro de federação partidária entre PT, PCdoB e PV Deputados do PT entram com ação contra Sergio Moro por prejuízos causados ao país