O destino trágico das flores

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

O proprietário de uma residência explicava a seus amigos que o avanço da técnica superava, rapidamente, tudo o que havia comprado em sua vida. Vivia só para adquirir as novidades técnicas que, logo mais, eram superadas por outras. Assim explicava:

- Vejam esta eletrola, está superada. Seu destino foi um vaso de flor sobre ela. O televisor, não tive outra alternativa senão colocar sobre ele também um vaso de flor. Aquele toca-discos, caiu da moda. Mais um vaso de flor. O gravador, que era de estimação, nada mais restou do que homenageá-lo com um vaso de flor. E agora também o videocassete está sendo desbancado pelo DVD. O destino dele será receber um novo vaso de flor. E assim vai indo a vida.

Alguém, atento a esse estranho costume de homenagear com um vaso de flor os utensílios fora de uso, observou-lhe:

A vida é assim mesmo. Tudo tem seu tempo de glória e seu tempo de declínio. Um dia também em cima da gente, vão colocar um vaso de flor.

Leia Também O caminho da assertividade As repercussões no contrato de trabalho e a liberdade de expressão nas redes sociais E Deus “repousou da obra que fizera” (Gn 2, 2) Oportunidades em 2022