Participação e mudanças: 57% é muita gente

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe

Temos acompanhado as manifestações pelo Brasil em vista de mudanças na saúde, educação, segurança, excesso de gastos na copa do mundo, atraso nas obras e outros.

Claro está que houve exageros, falta de sensibilidade e oportunismo.

Também se de destacar a falta de quilíbrio e autoestima em relação ao Brasil com as falas dizendo que passaríamos vergonha durante a copa.

Vimos, ao contrário, um país acolhedor e repeto de coisas boas.

Sem a expressão das ideias e opiniões da população não existe condições de organização social equilibrada, justa ou de qualquer outra ordem.

Antes, a não participação gera alienação, acomodação e as coisas acontecem deliberadamente e não existequalquer reação.

Mas vejamos e espanto.

No sire rdplanalto.com está o resultado da pesquisa onde demonstra que 57% da juventude entre 16 e 18 anos não tem interesse em votar.

A contradição é visível. Quando a população nesta faixa etária tem o maior acesso ao ensino superior, às politicas de financiamento, enfim ao ensino e recursos público e privados, a resposta parece ser o desinteresse.

Quem está falhando? O que falta fazer? Será que as manifestações do ano passado ou outras são ingênuas e insignificantes.

O ano eleitoral é uma excelente oportunidade para demosntrar nosso contentamento ou descontentamento. Mas também, expor nossa vonatde, nossos projetos e tudo o que integra nossa imaginação.

Espanta as pessoas de boa vontade, preocupados com o futuro, com a vida humana, o meio ambiente, o emprego, etc .

No Brasil o voto é obrigatório.

Mas precisa também ser encarado como um direito e uma oportunidade espetacular de colaboração para a efetivação de mudanças.

Quando a juventude não tem encantos, os adultos estão sem rumo.

Pensemos nisso e colaboremos para um país mais feliz, equilibrado e justo.

Leia Também A goleada estranha do River O "arrastão" agora é da polícia! A vez de o Grêmio ser prejudicado Série Prata: de sétimo para o segundo lugar!