São Pedro, São Paulo e o Papa Francisco

Postado por: Dom Rodolfo Luís Weber

Compartilhe


Jesus iniciou a missão evangelizadora escolhendo pessoas para estarem com Ele e preparando-as para continuarem a fazer o mesmo. Especialmente a Palavra anunciada deveria estar sempre presente, como também a vida de Jesus. Mas a Palavra, para estar presente, tem necessidade de uma pessoa, de uma testemunha. E assim, nasce a reciprocidade: por um lado, a Palavra tem necessidade da pessoa, mas, por outro lado, a pessoa, a testemunha, está ligada à Palavra que lhe foi confiada e que ela não inventou.

Pedro está entre as primeiras pessoas escolhidas por Jesus, depois foi escolhido de forma extraordinária Paulo e agora o Papa Francisco foi escolhido pela mediação da Igreja. A história pessoal deles é única. Por outro lado, eles têm em comum o seguimento de Jesus Cristo e a missão particular recebida na Igreja. Nisto está a grandeza deles.

São Pedro era pescador, homem de fé, confiante na presença ativa de Deus na história do seu povo. Era decidido e impulsivo, ao mesmo tempo ingênuo e medroso, contudo honesto, chegando ao arrependimento mais sincero dos seus erros.

Jesus orientou Pedro na pescaria. Aceita mesmo dizendo que o “mar não estava para peixe”. A reação de Pedro diante da pescaria foi de admiração e espanto. Jesus aproveitou a oportunidade para convidá-lo a ser “pescador de homens”. Os evangelhos vão apresentando passo a passo seu itinerário espiritual para torná-lo um apóstolo, para confiar-lhe a condução da Igreja e prepará-lo para o martírio em Roma.

São Paulo nasceu em Tarso, fabricante de tendas, era decidido e tinha dificuldades de falar em público. Ainda jovem foi para Jerusalém frequentar a escola do grande rabi Gamaliel para aprofundar-se na Lei mosaica.  O amor à Lei fez Saulo perseguir os que seguiam o caminho de Jesus. Durante uma viagem a Damasco, para prender cristãos, foi a oportunidade de Jesus chamá-lo. Foi sacudido fortemente a ponto de cair por terra. Neste ambiente de espanto se inicia um diálogo: “Saul, Saul, por que me persegues? Saulo perguntou: “Quem és tu, Senhor?” A voz respondeu: “Eu sou Jesus, a quem tu estás perseguindo”. Os textos bíblicos vão descrevendo todo itinerário de mudanças na vida de Saulo, de perseguidor dos cristãos até se tornar um apóstolo e sofrer o martírio em Roma.

Francisco nasce em Buenos Aires, batizado com o nome de Jorge Mário Bergoglio. Aos 17 anos, depois de uma confissão, sente-se chamado para ser padre. Inicia seu processo de formação, é ordenado padre, torna-se Provincial dos Jesuítas, bispo auxiliar e Arcebispo de Buenos Aires e feito cardeal. Um longo itinerário preparou-o para ser eleito como sucessor de São Pedro no século XXI.

Os três mudam de nome indicando uma nova missão. Simão recebeu de Jesus o nome de Cefas (pedra) ou Pedro indicando a missão que receberia de ser o fundamento e a garantia para a Igreja. Saulo, ou Saul em hebraico, passou a adotar o nome de Paulo, em latim. A mudança indica que agora a centralidade não está mais na Lei mosaica, mas em Jesus Cristo. Jorge Mário adotou o nome de Francisco acentuando que exercerá o ministério ao modo de São Francisco de Assis.

São Pedro, São Paulo e Papa Francisco são testemunhas da Palavra de Deus. Através deles a Palavra ficou visível, concreta e através deles outros tiveram acesso à Palavra de Deus. Os três propagam uma Palavra que não é deles, mas assumiram a Palavra do Evangelho como se fosse própria deles.

Deus abençoe e ilumine Papa Francisco na sua nobre missão de sucessor de Pedro!  

Leia Também O Senhor está próximo És tu o Messias esperado? OS TRÊS OPERÁRIOS RABISCOS SEMANAIS: Rosto de Emanuel!