Prédio do IE em Passo Fundo irá a leilão

Compartilhe
Um dos prédios mais conhecidos de Passo Fundo irá a leilão. É a área pertence ao Instituto Educacional (IE). A confirmação de venda foi feita ao Departamento de Jornalismo da Rádio Planalto News (92.1) pela coordenação pedagógica.

Pais, professores e funcionários estão cientes desde o dia 15 de julho de 2022. A negociação prevê a manutenção das atividades acadêmicas para o ano de 2023. Demais informações são e continuarão sendo públicas, assegurando a transparência do processo, destaca a Fabiana Scherer, diretora pedagógica, coordenadora Pedagógica EI, EF I e II!.


A HISTÓRIA DO IE 
  (Fonte: UPF)
Há mais de cem anos, um simples pedido de recomendação mudaria o panorama da educação básica em Passo Fundo. A cidade, que contava com extenso território, possuía nos primeiros anos do século XX estruturas escolares insuficientes para a demanda. O setor público não dava conta de implantar novas medidas eficazes para resolver o problema do analfabetismo.
Nascido nos Estados Unidos da América (EUA), o Reverendo Jerome Walter Daniel (1884-1955) conheceu a Igreja Metodista em 1908, convertendo-se à religião enquanto cursava o ensino superior na Universidade do Texas, em Austin, conforme relata o historiador estadunidense Robert W. Sledge. Ao se formar, buscou preparação ao trabalho de pastor, interessando-se pelas missões promovidas por sua Igreja. A Igreja Metodista, criada no século XVIII, possui em seu ideário, a necessidade do trabalho missionário envolvendo a área da educação. No Rio Grande do Sul, sua primeira iniciativa educacional foi em Porto Alegre. Com o tempo, novas atuações se desenvolveram no estado.

Para ser escolhido como missionário J. W. Daniel precisava informar o nome de três pessoas que fornecessem boas indicações sobre ele. Entre suas escolhas estava sua ex-professora, Mary Elizabeth Decherd (1874-1954), que lecionava na Universidade do Texas. Metodista, a educadora se engajava em ações ligadas à religião. Ao ser contatada pelo Secretário de Relações Exteriores das missões, Decherd forneceu excelentes recomendações sobre seu ex-aluno. Com isso, ele foi designado para trabalhar em Uruguaiana/RS.

J. W. Daniel trabalhou por um ano em Uruguaiana, sendo transferido em 1915 para Passo Fundo. Desde que chegou ao Brasil, o Reverendo contou com auxílio financeiro proveniente da Junta de Missões. No entanto, o dinheiro que recebia era insuficiente para desenvolver ações além de seu sustento. Foi então que Mary Decherd entrou em ação. A educadora texana coordenou por cerca de quinze anos, ações destinadas à arrecadação de fundos, com apoio de alunos metodistas da Universidade do Texas. Estes donativos seriam destinados à consolidação da missão da Igreja Metodista em Passo Fundo. Por intermédio dos valores captados, possibilitou-se a construção do principal templo metodista na cidade, na esquina da Avenida Brasil com a rua Bento Gonçalves.

Leia Também Após dois anos de covid, um em cada quatro jovens não estuda Prefeito Pedro Almeida recebe alunos vencedores do projeto Missão Cidade Educadora Faculdades IDEAU oferecem Vestibular Agendado Acadêmicas do curso de Letras da UPF participam de atividade na Polônia