Quarta edição do Danzpare Brasil movimentou mais de 60 mil pessoas

Compartilhe



Uma intensa programação cultural tornou a quarta edição do Festival Internacional de Dança Patrimonial em Pares a maior já realizada. Ao longo de 12 dias, cinco cidades do estado receberam apresentações dos bailarinos de 11 países, somando mais de 60 mil pessoas que lotaram arquibancadas, praças, ruas, escolas e teatros. O Festival espalhou a cultura dos povos pelos municípios de Fortaleza dos Valos, Cruz Alta, Pelotas, Marau e Passo Fundo. 

Mais de 120 escolas da rede pública, privada e estadual receberam os pares da Argentina, Bolívia, Costa Rica, Colômbia, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai e Peru. O intercâmbio cultural é um compromisso do Danzpare Brasil desde a primeira edição, a fim de espalhar a cultura do mundo ao maior número possível de pessoas. 

O festival teve início no dia sete de setembro com um show público no Parque da Roselândia, em Passo Fundo. No dia oito esteve em Fortaleza dos Valos, com visita à rede municipal de ensino e um espetáculo no Ginásio Rossatão, com a presença de 1.200 munícipes. Na sequência, o Danzpare viajou para Cruz Alta, com apresentações em escolas, praças e na Casa da Cultura, além de um desfile de rua que reuniu centenas de pessoas no centro da cidade. Pelotas recebeu o festival nos dias 12 e 13, com uma programação voltada às escolas, universidades, ONGs e espaços públicos da cidade. 

No retorno à Passo Fundo, a programação seguiu com shows públicos no Teatro do SESC, Universidade de Passo Fundo (UPF), Bella Città Shopping, Parque de Rodeios da Roselândia e nos CTGs Dom Luiz Felipe de Nadal e Fagundes dos Reis, oportunizando aos bailarinos estrangeiros uma integração com a cultura gaúcha. A Rua Morom se encheu de cor com a passagem dos casais que demonstraram sua arte para o público que parou para conferir o desfile. O Danzpare promoveu mais uma vez a cultura da inclusão com uma visita à APAE. Os usuários e estudantes da instituição vivenciaram uma tarde de integração e cultura junto aos bailarinos da Guatemala, Honduras, Paraguai, Peru e Costa Rica. “Neste ano o festival cresceu de forma exponencial, superando todas as nossas expectativas. As extensões a outras três cidades fizeram com que ainda mais pessoas pudessem ter acesso à cultura de outros países de forma gratuita”, afirma a produtora do festival, Raquel Pereira.


Equipe de voluntários


Para que todo o cronograma fosse realizado conforme planejado, uma grande equipe de voluntários auxiliou para o sucesso desta edição. Mais de 70 pessoas se uniram para recepcionar os bailarinos, compreender cada uma das necessidades e guiá-los por todas as atividades. Voluntária desde a primeira edição em 2017, Vera Márcia Topolski é a coordenadora da equipe de guias, responsável por organizar e dar vazão às demandas. “O trabalho de coordenação dos guias é bastante desafiador. São muitos detalhes que precisam ser ajustados em encontros prévios, quando os guias se conhecem ou se reencontram e assumem a responsabilidade de estar nos horários e espaços planejados para que o evento possa fluir da melhor forma possível”, destaca. Guia do casal da Colômbia, Marcelo Carneiro conta que para ele é muito gratificante ver um grande número de pessoas envolvidas de forma voluntária em prol da cultura. “Poder participar de eventos como o Danzpare Brasil sempre é um grande prazer, pois é uma reunião de pessoas que amam a causa da cultura e não medem esforços para proporcionar isso ao maior número de pessoas possível”. 

Além dos guias, a equipe de voluntários contou com o apoio das famílias hospedeiras, responsáveis por acolher em suas casas os bailarinos. No encerramento do festival, os produtores culturais do Danzpare Brasil, Mário e Raquel Pereira homenagearam cada membro da equipe com a entrega de um certificado de reconhecimento pela dedicação e importância destes trabalhadores voluntários. “O Danzpare só acontece porque cada voluntário se empenha ao máximo para termos êxito em todas as etapas. Sem eles, nada seria possível”, finaliza Raquel. 

O Danzpare Brasil é realizado pela Baillar Centro de Danças, Folk International Group (Associação de Festivais Folclóricos da Costa Rica), Associação e Organização de Festivais de Folclore do Estado do Rio Grande do Sul (AOFFERS) e Conselho Internacional de Dança da UNESCO (CID). A quinta edição do Festival Internacional de Dança Patrimonial em Pares deve ser realizada em setembro de 2025. No ano de 2024, Passo Fundo será sede da segunda edição do Danzpare Juvenil, formato que reúne jovens bailarinos de 13 a 17 anos e que aconteceu pela primeira vez em abril deste ano no Panamá. 


CRÉDITOS: Lucas França/Comunicação Danzpare Brasil


Leia Também A tradição gaúcha volta a desfilar no dia 20 de setembro em Passo Fundo Escola de Atores e Passo Fundo Shopping promovem a 2ª Edição do Festival de Cinema de Passo Fundo Danzpare Brasil chega ao seu final com grande sucesso em Passo Fundo Danzpare Brasil: desfile de talento no coração de Passo Fundo