Petiscos contaminados: cresce lista de produtos suspeitos para pets

Compartilhe

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou o recolhimento nacional de lotes de petiscos para cães das empresas FVO Alimentos Ltda., Peppy Pet Indústria e Comércio de Alimentos para Animais e Upper Dog Comercial Ltda. As investigações sobre a contaminação dos produtos ocorrem desde o início de setembro, quando nove cachorros teriam sofrido intoxicação após consumirem itens da marca Bassar Pet Food, em Minas Gerais.

No texto da determinação, o ministério diz que a substância que foi contaminada, o propilenoglicol, é permitida para a alimentação animal. O que teria ocorrido foi o contágio pelo composto monoetilenoglicol, que é tóxico. Enquanto o primeiro é usado em alimentos para mantê-los mais úmidos, este último é utilizado como anticongelante em sistemas de refrigeração.

– O monoetilenoglicol é tóxico e ataca principalmente o sistema nervoso e os rins – diz o professor de medicina veterinária Flavio Moutinho, que também destacou sinais para os tutores ficarem alerta.

– Sintomas como vômitos e diarreia, mas também prostração, que é quando o animal fica parado e cansado, e convulsões. Caso apareçam esses sinais, o animal deve ser levado imediatamente ao veterinário. E é sempre bom conferir se não tem petiscos das marcas envolvidas em casa também.

Os lotes que devem ser recolhidos, segundo o Mapa, são dos petiscos Bifinho Bomguytos de frango e churrasco, Bifinho Qualitá sabor churrasco e Dudogs, da FVO Alimentos Ltda; Bifinho e Peppy Dog de frango grelhado, Palitinho Peppy Dog sabor carne com batata doce, Palitinho Peppy Dog Frango com ervilha, Bifinho Peppy Dog carne assada, Bifinho Peppy Dog filhotes - leite e aveia e Palitinho Peppy Dog carne com cenoura, da Peppy Pet Indústria e Comércio de Alimentos para Animais; e Dogfy injetado tamanhos PP, P e M. A lista completa dos lotes pode ser conferida abaixo.

De acordo com a Bassar, todos os itens produzidos desde 7 de fevereiro deste ano têm sido recolhidos. Consumidores interessados poderão devolver o produto à loja, que deverá realizar o reembolso do valor gasto, mesmo se a embalagem já estiver aberta ou se parte do produto já tiver sido utilizada.

Em nota, a empresa FVO Alimentos diz que: "Em alinhamento com as diretrizes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), já havia recolhido do mercado, de forma preventiva e proativa, todos os lotes dos produtos Dudogs, Patê Bomguy e Bomguytos Bifinho (nos sabores Churrasco e Frango & Legumes).

A ação da FVO Alimentos foi realizada em caráter preventivo, mesmo sem existir indício de qualquer intercorrência relacionada aos produtos em questão, e leva em conta o Ofício 438/2022 (09/09/2022) do MAPA, que orientava os fornecedores do ingrediente propilenoglicol a realizarem testes laboratoriais que possam assegurar a conformidade do insumo para uso alimentício.

A FVO Alimentos possui 55 anos de história e de comprometimento, tendo o pioneirismo no Brasil na produção de alimentos secos, úmidos e petiscos. A empresa reitera que o propilenoglicol é utilizado na composição apenas dos produtos retirados do mercado. Todas as demais marcas produzidas pela companhia continuam sendo comercializadas, não havendo dúvidas quanto à segurança para consumo dos pets.

A Tecnoclean esteva entre os fornecedores da FVO Alimentos nos primeiros meses de 2022, mas já foi descredenciada. Os consumidores que tiverem alguma dúvida podem entrar em contato pelo sac@fvoalimentos.com.br e 0800 0612105".

Já a empresa Upper Dog Comercial Ltda divulgou que: "Por meio deste comunicado oficial, a Dogfy vem reforçar a relação de compromisso com a qualidade e segurança de nossos consumidores. Em caráter preventivo, faremos a substituição dos lotes fabricados no período de 01/01/2022 a 31/08/2022, considerando a orientação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Vale também informar, que prontamente submetemos petiscos Dogfy Dental a testes laboratoriais e estes já resultaram negativo para qualquer tipo de contaminação do Propilenoglicol por Monoetilenoglicol. Demais lotes produzidos com o composto também estão em análises e testes.

A Dogfy destaca que a substituição é uma medida cautelar, ressaltando a qualidade de nossos produtos e processos que são auditados constantemente pelo MAPA e outras autoridades fiscalizadoras e sanitárias competentes. Não há nenhum reporte de que qualquer um de nossos produtos tenha gerado transtornos aos nossos clientes e seus pets. Para outros esclarecimentos, estamos à disposição via e-mail: sac@dogfypet.com.br".

Até o final desta reportagem, a empresa Peppy Pet Indústria e Comércio de Alimentos para Animais não se manifestou.

FVO Alimentos Ltda

Peppy Pet Indústria e Comércio de Alimentos para Animais

Upper Dog Comercial Ltda


Fonte: Yahoo! Notícias / Extra

Leia Também Anvisa proíbe venda de massas contaminadas com substância tóxica SC: Homem é condenado pela morte da esposa após esconder ser portador do HIV Médica morre após ser eletrocutada enquanto usava secador de cabelo Eleições 2022: candidatos já gastaram R$ 3 bilhões na campanha eleitoral