Onde está o meu Brasil?

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe
Quando se encerra a Copa do Mundo, que reuniu milhões de pessoas em todos os países envolvidos e torcendo por suas seleções, em torno de um esporte, que move-se pela emoção e a razão fica por conta dos organizadores, patrocinadores e responsáveis por esta bolada de dinheiro que  circula, torna-se indispensável questionar: Até quando o Brasil vai assim, ladeira abaixo, tipo o carrinho do “Marco Véio”?

Vivemos trinta e poucos dias de excitação total. Quase que diariamente tinha um jogo na tv e, para quem aguentou, ouvia-se Galvão, Neto, Ronaldo ou outros bem pagos, sem querer. Entraram em nossas casas em todos os horários. Não vimos pela tevê, por exemplo, nenhum problema no país enquanto se desencadeou a competição. Tudo às mil maravilhas.

Tão logo embarcou de volta a Seleção Alemã, muito justamente Campeã, o Brasil voltou às origens. Caiu na sua realidade: Problemas de educação, preconceitos derrubados, problemas na economia, no transporte, etc. E dizer que em 45 dias não tivemos nada disso.

Vamos recuperar o país da mesma forma como os japoneses se recuperaram depois da guerra. Para isso, com educação e vontade, poderemos mudar o rumo da história. Ainda é tempo de descobrir o Brasil. Vamos arriscar?


Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito