Quem pode solicitar passaporte emergencial ou de urgência à Polícia Federal?

Compartilhe
Foto: Agência Brasil   Foto: Agência Brasil 
PF suspendeu emissão do documento comum no último sábado (19), por falta de verba. Órgão, no entanto, pode emitir versão emergencial em casos específicos.

A emissão do passaporte de emergência está mantida pela Polícia Federal, apesar da suspensão de confecção do documento na versão tradicional em todo o país desde o último sábado (19).

Segundo a PF, quando o cidadão necessitar do documento de viagem e não possa, comprovadamente, esperar o prazo normal de confecção e entrega, ele poderá requerer a versão emergencial ou de urgência do documento. Isso só é permitido em situações especiais.

São casos como motivos de saúde, trabalho ou catástrofes naturais.

O custo de emissão desse tipo de documento também é maior: R$ 334,42 (sendo R$ 257,25 da taxa comum mais um adicional de R$ 77,17).

Passaporte de prazo reduzido de entrega
O passaporte de urgência ou o de emergência será concedido, segundo a PF, "àquele que, tendo satisfeito as exigências para concessão de passaporte, necessite do documento de viagem com urgência e não possa comprovadamente aguardar o prazo de entrega".

Cabera à policia decidir se será o caso de passaporte emergencial ou de urgência — e existem grandes diferenças entre eles. Ambos são considerados de prazo reduzido de entrega.

"A unidade indicará o tipo de passaporte com prazo reduzido que melhor atender à necessidade do solicitante ou, em raros casos, oferecerá a opção de escolha", explica a PF.

Quais casos permitem a solicitação
Necessidade de deixar um local por causa de catástrofes naturais;
Necessidade de deixar um local por causa de conflitos armados;
Necessidade de viagem imediata por motivo de saúde do requerente, do seu cônjuge ou parente até segundo grau;
Para a proteção do seu patrimônio;
Por necessidade do trabalho;
Por motivo de ajuda humanitária;
Interesse da Administração Pública;
ou outra situação emergencial cujo adiamento da viagem possa acarretar grave transtorno ao requerente — é aí que pode entrar a hipótese de viagem de turismo.

Emergencial X Urgente
Características do Passaporte de Emergência:
Válido por apenas 1 ano (o comum vale por até 10 anos);
Pode ser recusado por alguns países que entendam que o motivo da viagem não é emergencial;
Não é emitido para viagem a turismo;
É entregue em até 24 horas úteis.
Características do Passaporte de Urgência:

Validade de 10 anos (1 a 5 anos para menores de 18 anos);
Aceito em todos os países;
Pode ser emitido para viagem a turismo;
É entregue entre 3 e 5 dias úteis.

Suspensão de passaportes
A emissão tradicional de passaportes foi suspensa neste fim de semana. O motivo é falta de verba.

Segundo a instituição, os agendamentos continuam ocorrendo, mas não há previsão para a entrega do documento enquanto a situação não for normalizada.

A suspensão foi anunciada nesta sexta (18). Em nota, a PF informou que "a medida decorre da insuficiência do orçamento destinado às atividades de controle migratório e emissão de documentos de viagem".

Ainda segundo a PF, quem foi atendido até esta sexta (18) receberá o documento, mas não há previsão de quando o serviço de confecção do passaporte será normalizado.

"O agendamento online do serviço e o atendimento nos postos da PF continuarão funcionando normalmente. No entanto, não há previsão para entrega do passaporte solicitado enquanto não for normalizada a situação orçamentária", informou a PF.

Para emitir um passaporte, é preciso pagar uma taxa de R$ 257,25. No caso do documento de emergência, a taxa sobe para R$ 334,42.

A PF informou também que outros serviços da corporação não serão interrompidos.

Novo passaporte
O governo federal apresentou em junho deste ano um novo modelo de passaporte. Segundo as autoridades, o documento ficou mais seguro contra fraudes.

O modelo atualizado começou a ser produzido no mês de setembro, data do bicentenário da Independência do Brasil, de acordo com o Ministério da Justiça.

A última grande atualização tinha acontecido em 2015, quando ele passou a ter um chip e ser chamado de passaporte eletrônico, além de dobrar o prazo de validade para 10 anos.

Fonte: G1

Leia Também Anvisa determina novamente o uso obrigatório de máscaras em aviões e aeroportos Justiça nega pedido de soltura para anestesista acusado de estupro Criança é encontrada dormindo em casinha de cachorro em SC Incêndio atinge estúdio de gravação de novela da TV Globo, no Rio de Janeiro