Eleições

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Mal iniciou a campanha eleitoral e já nos deparamos com promessas. Algumas até descaradas demais. Será que ainda vivemos como há 30 anos? Será que ainda não mudamos nos conceitos, de acreditar em tudo o que nos prometem? Será que os candidatos (alguns) não se reciclaram ao longo de três décadas?

Vivemos na era da informática, digital. Tudo é internet. Nada mais se faz sem ela (quase nada). E ainda assim insistem em tentar enganar o eleitor. São promessas vazias, infundadas. São defesas de governos espúrios, sem contexto, que se aproveitaram da boa vontade dos que os elegeram e governaram para nada ou para ninguém.

Difícil citar exemplos do que nos referimos, sem cair na tentação de tomar uma ação judicial. Porque nesta época é fácil isso. Até porque processar jornalista em época de campanha dá status.

Mas o povo, o eleitor, não pode mais cair nesta. Cansamos de promessas de novas estradas, de recuperação de outras, de saúde, de escolas, disso e daquilo. São infundadas. No Rio Grande do Sul a folha de pagamento do funcionalismo não mais permite estas promessas de obras mirabolantes. No país, a coisa não vai muito além.

Para os candidatos, um pedido: Se você se inclui nestes casos citados, muda. Se não inclui, ajude a mudar.

Para os eleitores: mudem. Assim teremos um país melhor, no futuro.

 


Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito