A cremação e a resistência sem sentido

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe
Neste mês de janeiro começa em Passo Fundo a possibilidade de cremação de corpos após o falecimento (sempre melhor que seja assim).
Esse é um costume normal em muitas culturas. Normalmente falamos sobre a Índia como o exemplo mais emblemático, considerando a sua gigantesca população e seus hábitos incomuns, por exemplo, os rituais no Rio Ganges  antes e após a cremação.
Mas existem inúmeros outros rituais de cremação em culturas sem a mesma expressão: grupos indígens, marinheiros, entre outros.
Mas por que na índia o costume impressiona mais? Certamente por causa da sua superpopulação e, mesmo que pouco falemos sobre isso, enterrar pessoas supõe a ocupação de espaço físico (terra, prédios, etc.). 
No Brasil, embora exista espaço abundante, o problema se reconfigura, especialmente após o processo de urbanização. As grande cidades dispõem de pouco espaço físico e o enterro dos mortos na maioria das vezes precisa ocorrer perto de casa.
A opção pela cremação dos mortos precisa fazer parte do nosso dia a dia.
A superação dos hábitos e costumes sem sentido é normal e essencial para a sociedade.
Por que o medo, o preconceito e a temeridade diante dessa novidade?
Primeiro, a dificuldade de mudar hábitos e costumes que nos dão segurança, mesmo quando as eviências dizem o contrário. Em todas as áreas na nossa atuação temos essas resistências, em maior ou menor intensidade;
Segundo, pela formação religiosa, muitas vezes marcada pelo fanatismo, trincheiras sem esclarecimento ou devocionismos tradicionais;
Terceiro, e principal, a falta de informação. Pessoas que se informam, buscam resolver suas dúvidas  com serenidade  não resistem a esse tipo de mudança.
As pessoas são desafiadas e conversar sobre a morte e seus rituais. Afinal, nós queremos ser melhores do que foram nossos antepassados. 
Essa é uma boa dica. Na hora do enterro é preciso ter a clareza de decidir pela opção mais serena, higiência e menos ttraumática.
A cremação parece uma opção com essa característica. 
Sobre a Ressurreição que muitas pessoas apelam, o corpo é apenas morada da aula. A consciência permance por meio das convicções, valores e pelo que cada um constrói ao longo da sua existência.
Os que tombam nas guerras, os aviões que caem com centenas de pessoas, os navios que afundam e, para encerrar, os imigrantes que forma jogados ao mar durante a travessia do atlântico foram exemplos dignos. Por que não tiveram um cemitério de terra?

Leia Também O "arrastão" agora é da polícia! A vez de o Grêmio ser prejudicado Série Prata: de sétimo para o segundo lugar! O desenvolvimento natural: a contribuição de Jean-Jacques Rousseau