RABISCOS SEMANAIS: Inflorescência Brasileira!

Postado por: Leandro de Mello

Compartilhe

À mitologia grega há uma lenda acerca do nascimento do girassol. Os povos gregos cultuavam divindades diversas, diferente da cultura judaico-cristã que professa sua fé pelo monoteísmo, isto é, no Deus único. A narrativa mitológica grega diz que Clítia (Clície) enamorou-se por Helius, o Deus do Sol. Voltava seu rosto, a olhar, ao longo do dia, para o Sol e, à noite, reclinava a cabeça à espera da aurora. Permanecendo muito tempo neste ciclo seus pés misturaram-se a terra, enraizando, enquanto seu rosto ganha forma de flor. Explicava-se assim, na antiguidade, o nascimento do Girassol.

A ciência moderna, superando mitos, classifica-o à família das Compostas (Asteraceae), sendo uma dicotiledônea, cientificamente conhecida por Helianthus annus, significando a “flor do sol”. Sabe-se, hoje, que o Girassol, apesar da aparência única de flor, é na verdade, uma inflorescência, ou seja, uma brotação a florescer em múltiplas flores. Há que se ressaltar quão bela revela-se uma plantação de girassóis. À tradição cristã, Cristo é o Sol da Justiça; professa-se a fé em um único Deus, manifesto em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, presença viva dentre a humanidade. A narrativa bíblica refere Jesus como luz à vida: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará na escuridão, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). A comunidade humana de seguidores(as) de Jesus Cristo, girassóis cristãos, é reconhecida como fonte de luz: “Vocês são a luz do mundo” (Mt 5,14).

À inflorescência brasileira, desde os povos originários aos nossos dias, registram-se, à luz do sol, ante históricas noites de escuridão, árduas e conscientes ações transformativas. Joaquim Osório Duque Estrada ao compor o Hino Nacional, musicado por Francisco Manoel da Silva, faz referência ao grande astro luminoso: “E o sol da liberdade, em raios fúlgidos, brilhou no céu da pátria nesse instante”. Vale recordar que a pátria amada, Brasil, fora também, batizada múltiplas vezes: Pindorama (conforme os povos indígenas); Ilha de Vera Cruz (1500); Terra Nova, Terra dos Papagaios (1501); Terra de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz (1503); Terra Santa Cruz do Brasil, Terra do Brasil (1505); e, por fim, Brasil, em 07 de setembro de 1822.

Hoje, o “brado retumbante” segue a ressoar, por vezes, como contraponto ao “Grito de Independência”. À memória é salutar dizer que, em 1994, a partir do processo da 2ª Semana Social Brasileira (SSB) e por inspiração da Campanha da Fraternidade de 1995 que propôs o tema: “Fraternidade e os Excluídos”, nasceu à luz da esperança o “Grito dos Excluídos e das Excluídas”; celebrado há 27 anos no dia 07 de setembro. Neste 2021, grita-se: “Vida em Primeiro Lugar”, e reflete-se o lema: “Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já!”

No Rio Grande do Sul, ademais, escuta-se ecoar o grito da juventude tradicionalista: “Em cada sonho um girassol a florescer!” O girassol fora escolhido, pela 7ª região tradicionalista, como símbolo para a 51ª Ciranda Cultural de Prendas e o 33º Entrevero Cultural de Peões. No contexto presente, as expressões culturais, artísticas, mostras folclóricas, culinárias, etc. descentralizam-se às 30 regiões tradicionalistas rio-grandenses partícipes do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). À Passo Fundo, coube sediar, as atividades da 7ª região, junto ao CTG Dom Luiz Felipe de Nadal.

À comunidade cristã é fundamental guiar-se à luz do Evangelho. Há cristãos(ãs) protagonistas em diversas áreas civis e eclesiais. A Igreja Católica, no Brasil, através da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB), brada em defesa da vida, da democracia, da justiça e da paz, porque acredita na construção do Reino de Deus pelo bem comum à nação brasileira. Para nossa inflorescência é ímpar refletir ao que concerne o real significado do patriotismo: o amor à Pátria concretiza-se no amor às pessoas, na defesa e promoção da vida, na luta por justiça social, pelo viés da paz, da fraternidade e da amizade. Recorda-nos o Apóstolo Paulo, na carta aos Gálatas: “Todos vós sois um só em Cristo Jesus” (Gl 3,28). Portanto, Povo de Deus, “brilhe vossa luz diante das pessoas, para que elas vejam as boas obras que vocês fazem e glorifiquem o Pai de vocês que está nos céus” (Mt 5,16). É tempo de florescer, Brasil!

 

Padre Leandro de Mello - @padreleojuventude. Passo Fundo, 07 09 2021.

 

Leia Também Você já ouviu falar em Clima Organizacional? O que esperar de um presidente raivoso e vingativo? Vida Os 85 anos de existência da Academia Passo-Fundense de Letras