Deslizamento na BR-376: Corpo de Bombeiros confirma segunda morte

Compartilhe

O Corpo de Bombeiros do Paraná confirmou na tarde desta terça-feira (29) ter encontrado o corpo da segunda vítima do acidente na BR-376, em Guaratuba, onde um deslizamento arrastou 15 carros e seis caminhões na noite de segunda-feira (28).

A primeira morte foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) pela manhã. Houve dois deslizamentos na BR-376 - um por volta das 15h30, quando a rodovia ficou interditada, e outro quatro horas depois com o trânsito liberado em meia pista. Foi neste momento que os veículos foram levados pela exurrada. Leia mais abaixo.

De acordo com as autoridades, que atuam nas buscas no local, por causa da chuva intensa, o resgate se torna ainda mais difícil e o número de mortos e desaparecidos ainda é incerto.

 

RESUMO DO QUE ACONTECEU NA BR-376

Houve dois deslizamentos. O primeiro começou às 15h30 de segunda, quando um talude cedeu no trecho de Serra e uma das pistas foi interditada. O trânsito fluiu por pista única. Às 19h30, houve novo deslizamento, carros foram atingidos e os dois sentidos da rodovia foram interditados.

As buscas foram interrompidas na madrugada devido à instabilidade do tempo, mas foram retomadas nesta manhã.

Uma morte foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal por volta de 10h desta terça.

Governo do Paraná não informou quantas pessoas estão desaparecidas.

Em coletiva, Defesa Civil afirmou que concessionária sabia dos riscos e por isso fazia obra na região.

Os deslizamentos na BR-376

O problema na pista começou às 15h30 quando houve um primeiro deslizamento. O trecho, no entanto, foi parcialmente interditado pela concessionária Arteris, e o fluxo seguiu em uma faixa, o que causou lentidão no trânsito, com uma fila de carros.

Cerca de quatro horas depois, um talude cedeu em cerca de 200 metros de pista e arrastou ao menos 15 veículos, entre carros e caminhões, que estavam na pista. A chuva era intensa no local no momento do incidente.

De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) não há pluviômetro monitorado pelo órgão ou pela Agência Nacional de Águas (ANA) na pista, mas o equipamento mais próximo, pouco abaixo do local do deslizamento, administrado pela ANA, apontava volume acumulado de 247 milímetros de chuva apenas na segunda-feira (28).

No acumulado das últimas 72 horas, foram 355 milímetros. O Cemaden afirmou que há um alerta de risco para a região desde o domingo (27).

Fonte: G1

Fotos: Redes sociais 


Leia Também Seca assola as lavouras da região Tudo pronto para o início do Show Rural Coopavel Associação Mãos Unidas arrecada recursos para ajudar catadores de materiais recicláveis de Passo Fundo Morre jornalista Glória Maria aos 73 anos