Estado recorda os 2 anos do início da vacinação contra a Covid-19: 27 milhões de doses aplicadas

Compartilhe

Há dois anos, em uma solenidade simbólica que se iniciou nos últimos minutos de 18 de janeiro de 2021 e adentrou a madrugada de 19, a vacina contra a covid-19 chegava aos braços de cinco gaúchos, os primeiros imunizados no Estado.

Naquele momento, no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Eloina Gonçalves Born, moradora de um lar geriátrico e na época com 99 anos; Jorge Amilton Hoher, médico-chefe do serviço de Medicina Intensiva da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre; Carla Ribeiro, da etnia kaingang e residente da aldeia Fag Nhin, na Lomba do Pinheiro; Joelma Kazimirski, auxiliar de higienização do Grupo Hospitalar Conceição; e Aline Marques da Silva, técnica de Enfermagem do HCPA, receberam as primeiras doses de um lote de 341,6 mil unidades do imunizante Coronavac que desembarcou momentos antes no Aeroporto Salgado Filho.

Eles representavam os grupos de risco prioritários, previstos na primeira etapa do Plano Nacional de Imunização. Passados dois anos, eles relembram aquela noite com nostalgia, felicidade e, principalmente, saúde. Todos se tornaram símbolos da esperança que surgia naquele momento e hoje são a prova de que vacinas salvam vidas.

Hoje, 27,4 milhões de doses já foram aplicadas no Rio Grande do Sul. A secretária da Saúde, Arita Bergmann, ressaltou a importância da vacinação ao lembrar da cerimônia que inaugurou o processo de imunização no Estado. “Foi um dia inesquecível e de muita emoção. Naquela época, estávamos diante do desconhecido. A covid estava assolando muitos países e ceifando muitas vidas. Ali, a vacina representou a esperança, a luz no fim do túnel. Estávamos todos confiantes na ciência”, disse Arita.

A secretária reforçou o apelo para que a população não deixe de completar o esquema vacinal e de buscar as doses de reforço. Quase 90% dos gaúchos já foram vacinados ao menos uma vez (mais de 9,8 milhões de pessoas receberam a primeira dose, conforme dados de 19 de janeiro, mas a conscientização sobre a importância das doses de reforço ainda é um desafio. Hoje, 642.012 pessoas estão com a segunda dose em atraso no Estado. No caso da terceira, são 2.977.692 e, da quarta, 2.128.676.

As vacinas, que há dois anos eram aguardadas com tanta ansiedade, hoje estão ao alcance de todos. As histórias de Eloina, Jorge, Aline, Joelma e Carla, que para sempre estarão ligadas por uma noite histórica, comprovam que a ciência construiu o caminho para que o Rio Grande, o Brasil e o mundo pudessem voltar a respirar sem medo.

Texto: Thamiris Mondin/Secom

Leia Também Covid-19: OMS pode determinar fim da emergência mundial nesta sexta-feira Chegam ao estado novas doses para imunização de crianças contra a Covid-19 Covid-19: Município recomenda a vacinação e o uso de máscara por idosos e imunossuprimidos Secretaria Municipal de Saúde monitora casos de Covid-19 em Passo Fundo