Grupo Planalto de comunicação

Procrastinação e Saúde Mental

A procrastinação está cada vez mais presente em nossa sociedade. Vários estudos indicam um aumento considerável da procrastinação no pós-pandemia. Você tem o hábito de deixar para amanhã o que pode fazer hoje? 

A procrastinação tem sido objeto de inúmeros estudos contemporâneos. Entre esses estudos, um em especial destaca que a procrastinação é precedida de inúmeras emoções negativas, como o mal-estar, sentimento de incapacidade ou mesmo de impotência diante das situações cotidianas. Há também sentimentos observados no pós-procrastinação, entre eles a culpa, acompanhada de desvalia, vergonha.  
A pessoa que procrastina busca deslocar uma atividade, uma tarefa, um compromisso para depois. No entanto, apenas cria uma situação de evitação, não enfrentando a realidade, postergando algo para depois. Isso gera uma sensação de alívio momentâneo, mas que em seguida cobra um preço muito alto em termos de saúde mental.
A procrastinação, enquanto tema de saúde mental, precisa receber uma atenção especial. Precisamos criar hábitos avessos à procrastinação. O melhor jeito de fazermos isso é começarmos agora mesmo.
** O leitor poderá enviar sugestões, dúvidas, questionamentos sobre o tema para o e-mail: emognhon@gmail.com Para agendar atendimentos clínicos utilizar o WhatsApp (54) 99983 9966.
Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais