Grupo Planalto de comunicação

HSVP realiza procedimento inédito em Radiocirurgia

O Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, realizou recentemente um procedimento inédito em Radiocirurgia para o tratamento de uma Malformação Arteriovenosa Cerebral (MAV), doença caracterizada pela anormalidade dos vasos sanguíneos do cérebro que pode provocar sangramentos e outras complicações. 

A tecnologia de ponta foi utilizada em um paciente de 16 anos, do sexo masculino, que já tinha passado por uma neurocirurgia de embolização para tratamento da MAV. Hoje, o jovem está totalmente recuperado e leva uma vida normal. “Devido a impossibilidade de uma nova embolização e pela malformação arteriovenosa estar em uma localização cerebral de difícil acesso, optamos pela Radiocirurgia, que foi um sucesso”, ressaltou o neurocirurgião Dr. Cassiano Ughini Crusius. 

Diferentemente dos tratamentos convencionais, a radiação atinge apenas o tumor, não causando dano ao tecido cerebral normal. “A Radiocirurgia é mais um método para nos auxiliar no tratamento de patologias graves e complexas. Por isso, quanto mais recursos temos melhor é para o paciente, que poderá ser tratado de formas alternativas e apresentar resultados cada vez melhores”, complementa o Dr. Cassiano.  

O procedimento inédito para tratamento da Malformação Arteriovenosa Cerebral foi realizado pelo Dr. Cassiano Ughini Crusius, Dr. César Augusto da Silva, físico médico Bruno Costa Tonetto e o radiologista Augusto Vasconcellos Vieira. No HSVP, a Radiocirurgia é custeada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), convênios e particular.

OS AVANÇOS DA RADIOCIRURGIA NO HSVP

A Radiocirurgia é realizada há mais de cinco anos pelo Serviço de Radiologia do HSVP, com uma média de oito procedimentos mensais. A Instituição possui dois aceleradores lineares para a realização de Radioterapia e outros tratamentos radioterápicos, sendo um deles o Acelerador Linear Elekta Synergy, que oferece grandes benefícios para os pacientes. Esse equipamento possui a tecnologia de IGRT (radioterapia guiada por imagem), onde há um tomógrafo acoplado ao aparelho para verificação em tempo real da localização do tumor.

Segundo o radioterapeuta e responsável técnico do Serviço de Radioterapia, Dr. César Augusto da Silva, e o físico médico, Bruno Costa Tonetto, a Radiocirurgia é uma técnica avançada que utiliza radiação para tratar condições médicas, especialmente tumores, sem a necessidade de cirurgia invasiva. “A Radiocirurgia concentra feixes altamente precisos de radiação em uma área alvo, com o objetivo de destruir ou controlar as células anormais. É possível administrar uma dose alta de radiação em poucas aplicações, trazendo conforto, confiabilidade e resolutividade ao paciente”, explica o Dr. César. 

O tratamento por meio de Radiocirurgia é altamente preciso, menos invasivo e não necessita de internação hospitalar e anestesia, ou seja, é realizado de forma ambulatorial. “Antigamente fazíamos entre 10 a 15 aplicações no cérebro, hoje conseguimos tratar tumores de cinco a sete milímetros em uma única aplicação. Além disso, as técnicas convencionais irradiam o cérebro inteiro enquanto a Radiocirurgia irradia só a área doente, ou seja, apenas o tumor. Isso é um diferencial extraordinário”, complementa o físico médico Bruno. 

Além de doenças cerebrais, o tratamento por meio de Radiocirurgia pode ser feito em tumores pulmonares, hepáticos, de próstata, metástases ósseas, entre outros. Em casos selecionados, é possível tratar em apenas cinco sessões de radioterapia.

Para a realização da Radiocirurgia o paciente é previamente avaliado por uma equipe multidisciplinar formada por oncologista, radioterapeuta, neurocirurgião, físico médico e radiologista, que decidem em conjunto qual o melhor procedimento para cada tipo de lesão. 

Créditos: Liliane Ferenci – Comunicação HSVP

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais