Grupo Planalto de comunicação

Operação Plenário: 19 pessoas denunciadas em ações do MP que passaram por Passo Fundo A ação do Ministério Público foi iniciada após um dos integrantes da facção ameaçar de morte um juiz em Erechim e um promotor de Justiça em Erechim.

Foto: Ministério Público (Divulgação)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Rio Grande do Sul (GAECO/MPRS) denunciou 19 pessoas que integram uma organização criminosa envolvida em ameaças ocorridas durante um júri em Erechim. Todas foram alvo da Operação Plenário, deflagrada no dia 29 de maio deste ano, depois que um dos integrantes da facção ameaçou de morte um juiz, no momento em que ele proferia a sentença de condenação, e um promotor de Justiça que atuou em plenário.

A denúncia foi oferecida à Justiça na segunda-feira, dia 10 de junho. O Ministério Público também solicitou o sequestro de valores vinculados às atividades do grupo criminoso e a prisão preventiva de oito acusados, o que a Justiça já determinou. O promotor de Justiça Diego Pessi, responsável pela investigação e coordenador do 7° Núcleo Regional do GAECO – Planalto identificou quatro núcleos distintos e compostos por diversos criminosos desta organização criminosa: “Foram 19 pessoas denunciadas por organização criminosa armada e tráfico drogas, sendo que os crimes foram praticados com violência e mediante processo de intimidação coletiva, inclusive mediante ameaça a autoridades”.

 

OPERAÇÃO PLENÁRIO

No dia 29 de maio deste ano, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão em Erechim e também em Passo Fundo, Caxias do Sul, Porto Alegre, Charqueadas e Alvorada. Todos os 19 denunciados foram alvo da ação. A organização criminosa também tem envolvimento com homicídios, intimidações feitas à população e a autoridades, além de tráfico de drogas e armas, roubos, entre outros. Outras ações realizadas foram medidas cautelares, como bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens dos suspeitos. A ação conta com o apoio da Brigada Militar e do GAECO do Ministério Público de Santa Catarina.

 

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais