Grupo Planalto de comunicação

O cachorro mais velho do mundo e o líder de seita Girando pelo Mundo de 17 de janeiro de 2024

(Foto: REUTERS/Catarina Demony/Foto de arquivo)

Líder de seita – Quênia
Nesta quarta-feira (17), um juiz queniano ordenou que Paul Mackenzie, o líder de uma seita, e 30 de seus seguidores fossem submetidos às avaliações de saúde mental antes de serem acusados do assassinato de 191 crianças.

As autoridades locais dizem que Mackenzie, o chefe da Igreja Good News International, ordenou aos seus seguidores no sudeste do Quênia que matassem de fome a si próprios e aos seus filhos para que pudessem ir para o céu antes do fim do mundo.

O crime ficou conhecido como uma das maiores tragédias da história do país. Isso porque mais de 400 corpos foram encontrados após o início das investigações.

Os promotores dizem que vão acusar 95 pessoas no total por homicídio, homicídio culposo, terrorismo e tortura. O líder da seita está sob custódia desde que a polícia começou a desenterrar os corpos na floresta de Shakahola.

Mackenzie planejou a fome em massa em três fases: primeiro as crianças, depois as mulheres e os homens jovens e, finalmente, os homens restantes.

O líder da seita proibiu os membros da seita de mandarem seus filhos para a escola e de irem ao hospital quando estavam doentes, classificando essas instituições como satânicas.

Sem mais embaixadores – Irã/Paquistão
Um dia após acusar o Irã de violar seu espaço aéreo e matar duas crianças em bombardeios, o Paquistão retirou, nesta quarta-feira (17), seu embaixador do país vizinho.

O embaixador iraniano no Paquistão, que atualmente está de visita ao Irã, também não será autorizado a voltar à Embaixada do Irã em Islamabad.

Na terça-feira (16), o Irã atacou duas bases do grupo militante Jaish al Adl, que fica no vizinho Paquistão. O governo paquistanês chamou o ataque de violação, disse que duas crianças foram mortas por conta dos bombardeios e prometeu “sérias consequências”.

O Ministério de Relações Exteriores do Irã confirmou os ataques nesta quarta-feira.

O doguinho mais velho do mundo – Portugal
O Guinness World Records suspendeu o título de cão mais velho do mundo para Bobi, que morreu em outubro de 2023. O livro dos recordes informou que estava revisando a premiação após veterinários questionarem a idade.

O cachorro tinha supostamente de 31 anos, vivia numa quinta na aldeia de Conqueiros, em Portugal, com o seu dono, Leonel Costa. Ele foi anunciado como o cão vivo mais velho do mundo e o cão mais velho de todos os tempos em fevereiro — ele teria nascido em 11 de maio de 1992.

Bobi era um Rafeiro do Alentejo, uma raça pura, que tem uma esperança média de vida de cerca de 10 a 14 anos.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais