Grupo Planalto de comunicação

Presidente da FGTAS na Planalto News: “Rio Grande do Sul perdeu 22 mil empregos no mês de maio” As perdas de oportunidades de emprego como consequências das enchentes foram relatadas pelo presidente da Fundação Gaúcha do Trabalho/FGTAS Sine, José Scorsatto. Ele conversou com o comunicador João Altair, no programa Na Ordem do Dia

Foto: Grupo Planalto de Comunicação (arquivo)

As enchentes históricas do mês de maio de 2024, que causaram mortes, desaparecimento de pessoas e destruição em diversos municípios, terão os seus reflexos sentidos por um longo tempo. O período é de reconstrução nos mais variados segmentos, com a preocupação em relação ao futuro das famílias.

Os prejuízos também já são sentidos no mercado de trabalho, com os estragos causados nas empresas. Muitas delas retomaram as suas atividades de forma parcial e outras sequer puderam reabrir, em função dos estragos.

Isso se verifica na redução considerável no nível de emprego. Foram 22 mil vagas a menos para os trabalhadores no mês de maio.

Sobre os setores que mais sentiram os efeitos das estiagens, com a redução do movimento de clientes, estão os restaurantes e hotéis. Havia uma grande expectativa com a chegada de turistas com o período de frio, porém o quadro de preocupação. O próprio fechamento temporário do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, acabou repercutindo negativamente em muitos setores.

As perdas de oportunidades de emprego foram relatadas em entrevista à Rádio Planalto News (92.1) pelo presidente da Fundação Gaúcha do Trabalho/FGTAS Sine, José Scorsatto. Ele conversou com o comunicador João Altair, no programa Na Ordem do Dia.

 

ACOMPANHE A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais